Operação da PF desarticula esquema de fraudes contra o INSS em Solânea, Bananeiras e Cacimba de Dentro

A operação ‘Sítios’, realizada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (10), identificou que a organização criminosa atuava desde 2008 obtendo benefícios irregulares junto à Previdência Social.
Seis pessoas foram indiciadas por um esquema que teria aplicado 200 golpes contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na região do Brejo paraibano. A operação ‘Sítios’, realizada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (10), identificou que a organização criminosa atuava desde 2008 obtendo benefícios irregulares junto à Previdência Social.
Os crimes estariam acontecendo na zona rural dos municípios de Solânea, Bananeiras e Cacimba de Dentro. Integrantes do Sindicato de Agricultura Familiar (Sintraf) seriam os responsáveis por cooptar vítimas, moradores de comunidades rurais, que tivessem idade para solicitar aposentadoria ou crianças para solicitação de salário maternidade.
Segundo a Polícia Federal, as vítimas eram a partir daí “sindicalizadas” de forma retroativa, como se pagassem taxa ao Sintraf há anos para preparar a documentação necessária. Com os documentos fraudulentos, o sindicato ingressaria com o pedido de benefício no INSS. O prejuízo aos cofres públicos calculado pela polícia chega a aproximadamente R$ 90 mil.
No período de 2008 a 2012, foram 200 agendamentos para concessão de benefícios, sendo um em 2008, dois em 2009, cinco em 2010, sete em 2011 e 185 solicitações apenas no ano de 2012. Em sua maioria, os requerentes informavam que exerciam atividade rural em terreno de terceiros, mas em algumas situações o número de pessoas trabalhando na terra ultrapassava a área total das propriedades.
Na operação, além de seis suspeitos indiciados por estelionato, falsificação de documento, falsidade ideológica e uso de documento falso, outras 60 pessoas foram intimadas a prestar declarações. A operação ‘Sítios’ foi realizada por equipes da Polícia Federal, Previdência Social e oficiais de justiça que cumpriram mandados de busca e apreensão, medida cautelar penal de afastamento das atividades e medidas cautelares penais de proibição de manter contato.
Noticiapb com G1 PB
Compartilhe no Google Plus

Sobre Colunista

Texto.
    Blogger Comment
    Facebook Comment