Epidemia de diarreia afeta 60 mil e mata 37 em Alagoas

Uma epidemia de diarreia já afetou 60 mil pessoas e matou 37 delas nos últimos dois meses e meio, em Alagoas. A principal causa, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, é a contaminação da água oferecida à população, que enfrenta a pior estiagem dos últimos 50 anos...


Em 25 municípios, o número de casos supera a média histórica dos últimos dez anos. Outras 46 cidades têm risco de surto da doença. "Com certeza [a epidemia] está relacionada à qualidade da água", disse a superintendente de Vigilância em Saúde de Alagoas, Sandra Canuto.

A análise dos sistemas oficiais de abastecimento e das soluções alternativas, como poços, cisternas e cacimbas, foi intensificada. Em algumas dessas fontes de água foram encontradas bactérias e coliformes fecais acima do limite permitido, inclusive naquelas que servem à concessionária de água do Estado.

A água distribuída por carros-pipa também está sendo monitorada.

Segundo a superintendente, a Secretaria de Saúde já encontrou água contaminada sendo distribuída por carros da Defesa Civil do Estado.

Sandra disse não ter identificado contaminação na água oferecida pelo Exército.
MORTES
O município de Palmeira dos Índios (135 km de Maceió) é o que concentra o maior número de óbitos. Das 37 mortes registradas até o final da semana passada, dez aconteceram na cidade.

Mais de 40% das vítimas fatais no Estado foram crianças com menos de um ano de idade. Outros 40% foram idosos com mais de 60 anos.

Folha de São Paulo
Compartilhe no Google Plus

Sobre Colunista

Texto.
    Blogger Comment
    Facebook Comment